VÍDEO NOVO: #PORSERTRANS

15:47

Então gente, janeiro é o mês da visibilidade trans, e muitos estados do Brasil tem a “Semana Da Visibilidade Trans” onde ocorrem vários eventos promovendo uma maior visibilidade da população trans, a daqui de Recife tá acontecendo do dia 23 até o dia 29.

E bom, Fabi, Fabiana, uma trans maravilhosa daqui que cursa psicologia, iniciou uma tag chamada #porsertrans. 

Então, meu objetivo nesse vídeo é chamar a atenção para vários assuntos que são totalmente invisíveis para a sociedade, mas sendo mais objetiva, eu vou falar os meus “#porsertrans”, mas que com certeza várias pessoas trans se identificam. 

1- #porsertrans meu corpo é tratado como objeto sexual não apenas pela mídia, mas pela sociedade inteira, ou seja mulheres trans/travestis servem apenas pra sexo, pra algum tipo de relacionamento não.

2- #porsertrans eu já fui chamada de “traveco” quando eu tava indo apenas para a padaria.

3- #porsertrans quando eu voltei do intercâmbio e estava a procura de colégios, um diretor de um colégio particular grande daqui me disse para fazer supletivo e não tentar uma escola, ou seja, pessoa trans não tem espaço em ambiente educacionais.

4- #porsertrans eu evito ir a hospitais porque a maioria nega te respeitar pelo seu nome social, assim te constrangendo na frente de todos.

5- #porsertrans eu sou obrigada a ouvir constantemente perguntas do tipo “qual é teu nome verdadeiro?” e “você tem um pênis?”, que são perguntas totalmente indiscretas e que deslegitimam minha identidade. 

6-#porsertrans eu sou considerada doente pela OMS.

7-#porsertrans minha expectativa de vida é de 35 anos.

8-#porsertrans eu preciso de um laudo de um psicólogo e um psiquiatra para ELES comprovarem quem eu sou.

9-#porsertrans eu tive que lutar contra tudo e todos para poder ser quem eu sou hoje.


10-#porsertrans eu sou linda, forte, batalhadora e aprendi a lutar, #porsertrans eu aprendi a continuar andando mesmo quando preconceito anda do meu lado, #porsertrans eu consegui ver a mãe maravilhosa que eu tenho e que me acolheu da melhor forma que ela pode, sendo trans eu aprendi que vida não é fácil, e que até para entrar numa faculdade eu tenho que lutar e por isso aprendi a resistir e existir diante de todos, e finalizando, #porsertrans eu me e orgulho de ser parte de uma parcela das pessoas mais corajosas do mundo, porque ninguém sabe a dor que é não poder ser você mesmo e ter que lutar contra toda uma sociedade para poder se libertar. 

You Might Also Like

0 comentários