Sobre o filme “A Garota Dinamarquesa”.

17:42

Fonte: Google.
Sobre o filme “A garota dinamarquesa”.

Antes de tudo, esse filme não me representa, e não representa grande parte da sociedade trans, por ser um homem cisgênero que está interpretando o papel de uma mulher trans.

“Não é de hoje que vejo esse assunto levantar debates longos em torno de homens cis estarem pegando papéis onde mulheres trans/travestis são retratadas. Assim como o black face um dia foi feito por brancos, por não lerem os negros como dignos de se representarem, venho a fazer uma intersecção com a nossa condição enquanto pessoas trans: sub-gente, prostituídas, sujas e precárias. O cinema prefere visar o buzz em cima do homem que se "traveste" do que reconhecer a humanidade contida na mulher trans que deseja ser atriz. 

Sobre a garota dinamarquesa eu não sei, mas e sobre eu e minhas irmãs que estamos 90% na prostituição? O que vocês já fizeram para mudar isso? Mostra tua cara, indústria transfóbica! “ ( A parte entre aspas, vem desse texto da Maria Clara Araújo.) (https://www.facebook.com/1603124769940548/videos/1627359387517086/)

ENFIM, após essa explicação, gostaria de responder uns achismos ERRADOS das pessoas sobre o filme.

O que muitos estão falando é, “ele só botou um vestido e quis virar mulher”.

Antes de tudo, ninguém vira nada, ninguém aqui tem super poderes para se transformar em algo. Não, Lili, não botou um vestido e resolveu do nada “ser mulher”. No próprio filme, Lili cita que sua esposa a ajudou a revelar a Lili que estava dentro dela, mas que ela nunca teve coragem de explorar por medo.

Além disso, é preciso lembrar que o filme se passa na década de 1920, OU SEJA, como a própria Lili iria dizer com propriedade que é uma mulher trans se isso nem era falado na época? É muito mais que obvio que ela ficaria confusa, afinal ONDE na década de 1920 gênero e sexualidade eram discutidos? É fato que Lili ia sentir dificuldade em se definir como pessoa, pois não existia uma definição para o que a própria estava sentindo, se Lili nascesse hoje, ela, provavelmente, saberia que o que ela é, mas na época, o “rotulo” transexual era pouquíssimo falado, tanto que o médico que ajudou Lili e vários outros personagens do filme a definiam como “ o homem que se sente de maneira diferente”

Foi a partir dessas “brincadeiras” dela e da esposa, que ela conseguiu enxergar como chegar no que ela sempre quis ser.

Vou dar um exemplo de uma amiga minha, que não irei citar o nome, obvio. Ela vive em uma sociedade onde ela só sabe da existência de duas coisas, ser gay e ser heterossexual. Ela se definia como uma mulher hetero, mas a partir do momento em que ela se apaixonou por uma garota, ela ficou confusa, afinal, ela também sentia atração por garotos, e estava gostando de uma garota, então o que estava acontecendo com ela?

Após um tempo, ela conseguiu se identificar como uma mulher bissexual, isso porque estamos em outro século, onde conseguimos informações mais rapidamente.

Muitos também dizem, “ah se ela é trans porque era casada com uma mulher?”
Para esclarecer melhor sobre isso é só ler outros posts do meu blog, que vocês irão saber que identidade de gênero é diferente de orientação sexual. Acho que por si só isso já se explica.

Espero que esse texto tenha ajudado a muitos.

You Might Also Like

4 comentários

  1. Fazia tempo que queria saber a posição de uma pessoa trans sobre o filme. Achei muito interessante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A página do blog já está no ar, já podemos conversar, e se você quiser, curti lá :), muito obrigada por ter comentado aqui, fico grata pela visita no meu blog, muito obrigada por todo apoio <3
      https://www.facebook.com/transtornada.blog/?ref=aymt_homepage_panel

      Excluir
  2. Anne, você gostou do filme?
    Já vi vídeos de uma pessoa trans se queixando bastante dele, porém achei que essa pessoa fez comentários intolerantes e sem muitas considerações devidas, como no caso, você fez considerando o contexto sócio-histórico e cultural.
    Gostaria de saber sua opinião sua mais pessoal.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A página do blog já está no ar, já podemos conversar, e se você quiser, curti lá :), muito obrigada por ter comentado aqui, fico grata pela visita no meu blog, muito obrigada por todo apoio <3
      https://www.facebook.com/transtornada.blog/?ref=aymt_homepage_panel

      Excluir